Como montar um estacionamento

Manual completo com dicas para iniciar de maneira correta a operação e gestão de um estacionamento

Entenda o que é necessário para abrir um estacionamento

As grandes cidades se transformam em sinônimo do caos urbano: engarrafamentos e desconforto para a população em geral. Sair de casa para o trabalho, para fazer compras ou simplesmente passear, é um ato de coragem e paciência. São milhares de veículos circulando e quase não há espaço nas ruas para estacionamento.
Assim, há uma grande oportunidade para empreendedores brasileiros, pois os estacionamentos rotativos estão relacionados diretamente à comodidade e segurança das pessoas e seus carros. Embora o mercado de estacionamento esteja sentindo desde o ano de 2015 até 2017 uma queda na demanda devido à crise econômica, ainda é um mercado atrativo.
Segundo o Denatran, a frota de veículos continua crescendo – de Abril de 2017 até Maio de 2017 houve um aumento de 286.543 veículos em todo o Brasil. Somente na cidade de São Paulo, por exemplo, existem aproximadamente 9.000 garagens, oferecendo um total de 900.000 vagas, com uma média de 70 milhões de veículos atendidos em um mês, de acordo com o Sindicato das Empresas de Garagens e Estacionamentos do Estado de São Paulo – Sindepark.
Para entrar neste mercado, é preciso planejamento e estudo sobre o setor. Vamos listar diversos fatores, recolhidos através do site do Sebrae, que devem ser levados em consideração quando for abrir um estacionamento.

Localização

Vamos começar pela localização, pois é um fator determinante para o sucesso do empreendimento.
Segundo o presidente do Sindepark, Marcelo Gait, o estacionamento é um negócio dependente de outras atividades comerciais. Tenha certeza que ele se encontra próximo a locais de grande fluxo de pessoas, como bancos, supermercados, shoppings, terminais de transporte público, aeroportos, faculdades e hospitais.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sebrae em 2005, a escolha inadequada do local é responsável por 8% do fechamento das empresas antes de completarem 4 anos de funcionamento e especialistas respondem que a escolha certa é responsável por até 25% do sucesso do negócio.

O Sebrae também lista os principais pontos a serem considerados na escolha do local:
1) O preço do aluguel: Pelo fator crítico de ser em local com bastante movimento, o valor do aluguel normalmente é alto. Se for muito alto, poderá comprometer a margem de lucro, por isso é necessário estar preparado para negociações.
2) A compatibilidade entre o público local e o padrão de serviço a ser prestado: maior renda, maior preço; menor renda; menor preço.
3) Visibilidade: Aparência e divulgação externa, como placas e avisos, são cruciais para atrair o público. A tabela de preços também deve estar disposta de uma maneira clara e visível para permitir uma escolha consciente por parte do motorista na hora de decidir onde parar o seu carro.
4) Conforto: O rápido atendimento e condições de espera, como cadeira e água, podem fidelizar o cliente.

Outros pontos relevantes que devem ser levados em consideração para que o estacionamento seja estruturado são:
1) Área disponível para construção da empresa;
2) Verificar junto ao município se a localidade escolhida permite o tipo de atividade;
3) Suprimento ininterrupto de água e energia elétrica;
4) Proximidade com rodovias e vias de acesso para apresentação ao público e facilidade para localização do empreendimento.

Assim sendo, uma boa localização é aquela que favorece o acesso das pessoas, com o menor grau possível de dificuldade, ou que seja próxima a rodovias para melhor escoar o produto. Se o atendimento for destinado ao público em geral é importante que a loja ou o serviço possua boa visualização em área de grande fluxo de pessoas, próxima ao local de residência ou de trabalho do público-alvo.
Tendo em vistas as características acima descritas, é necessário entender o mercado dos estacionamentos rotativos verticais e analisar a melhor localização para implantar o negócio, sendo este fator fundamental para a sobrevivência da atividade.
O ponto comercial deve estar localizado em ruas de grande fluxo de pessoas e não necessariamente de veículos, como grandes avenidas e cruzamentos, onde fluem pessoas de diversas regiões da cidade. Para isso, é necessário identificar no local os chamados "pólos geradores de público", tais como: shopping center, supermercados, hipermercados, agências bancárias, terminais de ônibus e/ou metrô, parques, clubes, instituições de ensino superior e também a proximidade de hospitais e maternidades.

Exigências Legais e Específicas

É necessário contratar um profissional para legalizar a empresa nos seguintes órgãos:
1) Junta Comercial;
2) Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
3) Secretaria Estadual de Fazenda;
4) Prefeitura Municipal, para obter o alvará de funcionamento;
5) Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra (é obrigatório o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal por ocasião da constituição da empresa e até o dia 31 de janeiro de cada ano);
6) Caixa Econômica Federal, para cadastramento no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;
7) Corpo de Bombeiros Militar.
8) Cumpra suas obrigações e tenha vagas para idosos e deficientes, conforme prevê a legislação.

Além do cumprimento das exigências anteriores, é necessário pesquisar na Prefeitura se a Lei de Zoneamento permite a instalação de estacionamento rotativo vertical no local. O Sebrae poderá ser consultado para orientação.

Estrutura

Segundo o Sebrae, diversos são os fatores que influenciam na estrutura de um estacionamento rotativo vertical, porém nenhum é mais relevante do que o empresário ter em mente qual será o tamanho estimado dos serviços, isto é, a quantidade de vagas que podem ser atendidas na região ou pelo prédio a ser construído ou reformado. Toda a estrutura necessária será dimensionada com base nessa capacidade inicial esperada. Contudo, alguns aspectos sempre devem ser levados em consideração, tais como otimização dos espaços, área para ampliação futura, instalações higiênicas e sanitárias.

Outros aspectos importantes a serem levados em conta são:
1) Quantidade de veículos atendidos;
2) Tipos de serviços oferecidos;
3) Qualidade dos serviços e foco específico, se for o caso.

A estrutura física ideal para a instalação é um prédio que comporte o número de vagas estimadas com base na rotatividade esperada. Deve haver também na estrutura ambientes distintos para atendimento, espera, uma possível loja de conveniência ou oficina para carros, escritório, almoxarifado, além de vestiários e banheiros para funcionários e clientes.
A área de atendimento deverá possuir uma decoração simples, dispondo de balcão de atendimento e estantes para guardar as chaves e realizar o controle das vagas, bem como caixas para o recebimento pelos serviços prestados. A administração deve servir para o atendimento a clientes especiais, fornecedores e empregados.
O mobiliário deve incluir mesas e cadeiras suficientes para os administradores, além de cofre e local para arquivos e guarda de documentos ou mesmo itens de maior valor. A depender do tipo de instalação e cliente final, é importante pensar em um espaço reservado para que estes aguardem durante uma lavagem ou enquanto o carro é trazido. Pense em ambientes onde possam ser aproveitadas, quando couber, luz e ventilação natural, evitando custos desnecessários.

Pessoal

A necessidade de pessoal, tal qual o tamanho da infraestrutura, vai depender diretamente da capacidade de atendimento esperada pelo empreendedor. Mas, diferente de outros tipos de empreendimentos, o perfil da mão-de-obra necessária para atuar em um estacionamento rotativo não é especializada, sendo a presença de manobristas o nível mais especializado e, é claro, com carteira de habilitação.

Para uma estrutura mínima, para um empreendimento iniciante, são necessários os seguintes profissionais:
1) Dois a três manobristas;
2) Um segurança;
3) Um caixa.

Além de profissionais capacitados, manobristas habilitados, treinados, identificados com crachá e uniformizados. Caso o empreendedor faça a opção por estender o atendimento para 24 horas será necessário contratar um segurança para o período noturno e mais manobristas, para revezar nos turnos. É interessante o empreendedor participar de seminários, congressos e cursos direcionados ao seu ramo de negócio, para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências do setor.

Equipamentos

No mercado, temos diversos tipos de sistemas, computador com impressora, microterminais e até smartphones.
Hoje, o sistema de controle e gestão com melhor custo benefício é o Jump Park. Menor custo de instalação, suporte e atualizações frequentes. Com apenas um smartphone Android e cartões PVC, o gestor tem acesso á um sistema completo para gerir os mensalistas, convênios e clientes rotativos. O sistema é leve e móvel, logo os operadores podem se antecipar ao cliente e agilizar o atendimento. Para acesso remoto às informações do estacionamento é necessário Wi-fi ou internet móvel nos celulares, pois o sistema armazena na nuvem as informações de fatura e uso do estacionamento. O sistema não utiliza impressora, o que barateia a instalação e torna o estacionamento sustentável.
A decisão de adquirir equipamentos para recebimento através de cartões de débito e crédito é do empreendedor, pois se sabe que se paga por isso. Recomendamos que ofereçam água e banheiro aos clientes.

Matéria prima e mercadoria

Um estacionamento rotativo não requer matéria-prima ou mercadorias, apenas as vagas disponíveis para aluguel. Contudo, é interessante que o empresário considere materiais para limpeza e higienização do local.

Divulgação

Ao abrir o estacionamento é muito importante divulgar aos estabelecimentos próximos. Essa divulgação trará clientes de convênios, mensalistas e até rotativos. Uma panfletagem é bastante eficiente ao iniciar o empreendimento. Não se esqueça de placas e avisos na entrada do estacionamento. Também, possuir cartões de visitas é muito recomendado. Outros meios de divulgação eficientes são aplicativos de busca.
Existem diversos aplicativos gratuitos para a divulgação dos estacionamentos: Google Maps e Jump Park. Respectivamente, o mais popular e o mais específico. O Google Maps é um mapa muito popular da Google e, clicando aqui, você pode cadastrar seu estacionamento. Já o Jump Park é um aplicativo de busca específico para estacionamento, aparecendo apenas para motoristas interessados pelo serviço de estacionamento. Ele é gratuito e pode se cadastrar por aqui.

Órgãos responsáveis

· Associação Brasileira de estacionamentos – AbraPark
· Sindepark: Sindicato dos estacionamentos. Saiba tudo do setor e tenha ajuda no negócio de estacionamento.
· Exporparking: Maior feira de exposição de estacionamento do Brasil. Todo ano tem um evento com as maiores novidades do setor.
· Sebrae: Tudo para a regularização e gestão de negócios.

Gostou do que leu? Não esqueça de compartilhar!